WORKSHOP

Constelação de depressão

Sistemicamente, a depressão pode estar conectada a um luto da ancestralidade, vivido em duas ou mais gerações anteriores.

4.png
Botão
AO VIVO

informações

1. Introdução

 

A depressão é considerada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) como uma doença que atinge 5,8% da população brasileira. O Brasil é o segundo país da América a ter mais casos de depressão, atrás apenas dos Estados Unidos, com 5.9%.

 

Frente à um percentual tão assustador, atingindo cada vez mais os jovens, estamos oferecendo este workshop com o intuito de trabalhar sistemicamente, através das Constelações Familiares. Propondo uma intervenção breve, profunda e eficaz na busca da melhora.

Vista como uma doença “do organismo como um todo”, a depressão compromete o físico, o humor e, em consequência, o pensamento. Altera a maneira como a pessoa vê o mundo e sente a realidade, entende as coisas, manifesta emoções, sente a disposição e o prazer com a vida. Também afeta a forma como a pessoa se alimenta e dorme, como se sente em relação a si próprio e como pensa sobre as coisas. É, portanto, uma doença afetiva ou do humor, não é simplesmente estar na “fossa” ou com “baixo astral” passageiro. Também não é sinal de fraqueza, de falta de pensamentos positivos ou uma condição que possa ser superada apenas pela força de vontade ou com esforço. A depressão traz consequentes alterações na maneira de valorizar a realidade e a vida.

Muitas são as causas geradoras de quadros depressivos na vida atual, sintomas que podem ser disparados pela perda de uma pessoa querida, do emprego ou o final de uma relação amorosa. Também pode estar associada doenças e disfunções orgânicas diversas.  

Sistemicamente, a depressão pode estar conectada a um luto da ancestralidade, vivido em duas ou mais gerações anteriores. A depressão também sugere uma ligação com a depressão materna ou, o desejo inconsciente de morte da mãe na gestação ou na primeira infância. Outras dinâmicas ligadas à ancestralidade confirmam seu aspecto multigeracional.

 

Mais recorrente em mulheres, o transtorno pode ser de longa duração ou recorrente, incapacitando o indivíduo de realizar as atividades do dia a dia. Os principais sintomas da depressão são: tristeza, perda de interesse ou prazer nas experiências da vida, sentimentos de culpa, baixa autoestima, alterações no sono e no apetite, cansaço crônico ou falta de energia vital, dispersão, melancolia ou apatia e falta de significado existencial.

Algumas vezes o problema se aprofunda com ideias ou pensamentos suicidas também vinculados com a ancestralidade. Em uma família cujo um membro anterior cometeu suicídio assinala para os emaranhamentos que prendem seus descendentes na repetição da situação drástica.

 

2. Objetivo

Trabalhar fenomenologicamente, com as Constelações Familiares os emaranhamentos sistêmicos ligados à depressão no descendente atual visando a sua liberação

 

3. Metodologia

- Exercícios sistêmicos e vivências com as Constelações Familiares

- Este workshop oferece muitas compreensões e liberações, compreendendo uma proposta totalmente vivencial e fenomenológica.

4. Observações

A escolha dos participantes para constelar serão aleatórias, feitas por critério fenomenológico com o intuito de servir à muitos

HORÁRIO

sábado 18/setembro

09h às 13h | 15h às 18h

LOCAL

Plataforma Instituto Marusa + Plataforma Zoom

DIFICULDADE

aberto a todos

ACESSO A GRAVAÇÃO

ilimitado por 30 dias,

R$ 350,00
à vista ou em até 2x sem juros

cartão de crédito, boleto bancário, paypal e pix

formas de pagamento